17.6.07

partir no espaço e no momento próprio


Malkievicz

Não serve de nada correr, é preciso partir no momento próprio.

Jean de La Fontaine

Porque muitas vezes estamos em fuga e achamos que a solução está fora e longe de nós.
Porque para não partir de verdade distraímo-nos com outras coisas na azáfama dos dias.
Porque a nossa paciência é curta e queremos respostas imediatas.
Porque...


8 comentários:

petroy disse...

porque no topo da pirâmide e livres de castas ... todos temos o direito/dever de alcançar... e viver em constante insatisfação ...

Teresa Durães disse...

é mais cómodo dizer que a culpa é dos outros :)

mas descobri há algum tempo que é um desperdício de vida a alienação e a fuga da verdade. Enquanto os problemas não são resolvidos acabamos por não pensar em mais nada (mesmo que de uma forma inconsciente)

bom dia

Anónimo disse...

porque a vida é uma corrida e não há tempo para nada.

gostei deste blog.

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

***

Abbie disse...

E conseguir distinguir esse momento preciso. . .

Vanessa disse...

Talvez porque só os iluminados sabem quando é o momento certo...

Falando por mim, eu quase nunca sei. Corro sempre demais. E quando não corro digo sempre: Olha, desta vez tive sorte...

A vida faz-nos correr.

:)

Beijinhos*

Cientista disse...

porque... há sempre um porque...

Cometa 2000 disse...

petroy, vivemos sempre em tensão... positiva.
em dicotomia. no que também dizes: direito/dever, insatisfação/aceitação, já/ainda...

teresa, :) é como dizes, os bodes expiatórios que buscamos também são uma forma de fuga.
um porquê de não partirmos e só corrermos corrermos.

anónimo, bem-vindo. não seremos nós a fazer dela uma corrida?

inês, obrigado por vires até este espaço...

abbie, pois, a procura do momento preciso também pode funcionar ao contrário... pode fazer parar demais se procuramos o timing perfeito perfeito. de algum modo, também é preciso arriscar, não?

vanessa, iluminados e desiluminados somos ou podemos ser todos um bocadinho. quanto a ti, com o blog que tens... brilhas, pelo menos para alguns como eu.
quanto à vida, não deviamos ser nós a fazê-la correr?

cientista, é o que nos move...
:)


dizer apenas que me fizeram pensar. obrigado.