2.11.07

um espaço poema?


1.
Em que medida se sente culpado por ser VIH positivo?
Nada? Um pouco? Moderadamente? Muito? Muitíssimo?

2.
Em que medida se sente culpado por precisar da ajuda de outros?
Nada? Um pouco? Moderadamente? Muito? Muitíssimo?

3.
Em que medida se preocupa com a interrupção da sua linha familiar?
Nada? Um pouco? Moderadamente? Muito? Muitíssimo?

4.
Em que medida se preocupa com o modo como o irão lembrar depois da sua morte?
Nada? Um pouco? Moderadamente? Muito? Muitíssimo?

5.
Em que medida o incomodam sentimentos de predestinação?
Nada? Um pouco? Moderadamente? Muito? Muitíssimo?

6.
Em que medida teme o futuro?
Nada? Um pouco? Moderadamente? Muito? Muitíssimo?

7.
Em que medida a sua morte o preocupa?
Nada? Um pouco? Moderadamente? Muito? Muitíssimo?

8.
Em que medida o preocupam pensamentos de que irá morrer de um modo diverso daquele que, um dia, antecipou?
Nada? Um pouco? Moderadamente? Muito? Muitíssimo?

9.
Em que medida o tempo e o lugar da sua morte o preocupam?
Nada? Um pouco? Moderadamente? Muito? Muitíssimo?

10.
Em que medida o preocupa o sofrimento antes da morte?
Nada? Um pouco? Moderadamente? Muito? Muitíssimo?

11.
Em que medida se culpa a si mesmo pela sua infecção VIH?
Nada? Um pouco? Moderadamente? Muito? Muitíssimo?


Luís Quintais

Afinal, quais as fronteiras da poesia?

2 comentários:

awake disse...

ela está no meio de nós...

storytellers disse...

Oi, vim aqui avisar da mudança de endereço do meu blog. Por questões pessoais decidi acabar com o kerubina, que já era tudo menos um blog anónimo como eu desejava desde o início, de qq modo, terei muito gosto que m vás lá visitar no novo endereço: onceuponatime7.blogspot.com

bjos