17.10.07

o espaço onde às vezes regresso



Snjezana Josipovic

A casa onde às vezes regresso é tão distante
da que deixei pela manhã
no mundo
a água tomou o lugar de tudo
reúno baldes, estes vasos guardados
mas chove sem parar há muitos anos

Durmo no mar, durmo ao lado do meu pai
uma viagem se deu
entre as mãos e o furor
uma viagem se deu: a noite abate-se fechada
sobre o corpo

Tivesse ainda tempo e entregava-te o coração

José Tolentino Mendonça

8 comentários:

A. disse...

coração de água
ainda há tempo :)

a. disse...

um dos meus poemas preferidos...

awake disse...

um dia, todos os padres serão assim...*

un dress disse...

pro.fund.íssima

nost.algia


farejAr


des.conheCer


...

un dress disse...

...reConheCer



?

maria disse...

gosto muito

musalia disse...

'pago-te um café se me contares o teu amor'

:)

Dalaila disse...

regressei a mim....