21.9.07

pressa, um espaço a que somos cativos



Sophie Thouvenin

Como fugitivos corremos pelos dias a uma velocidade que nos torna cativos do próprio tempo.

Fico com a sensação de que andamos, desde a manhã clara em que aparentemente acordamos, sem olharmos para as pessoas, acontecimentos e coisas com olhos de ver.
E, a cada minuto, dão-se novos e simples milagres que ultrapassamos sem notar.

5 comentários:

menina tóxica disse...

também fico com essa sensação muitas vezes. então tento acalmar o olhar. e prestar mais atenção a todos os novos e simples milagres.

;)

Dalaila disse...

E corremos,
corremos,
corremos,
não vemos,
corremos,
não vemos,
corremos,
andamas,
corremos,

a ampulheta,
roda, roda, roda,

e nós corremos, corremos,

e....
corremos.

ATÉ! que a nuvem te tocou....
e o tempo parou,
e o tempo correu

E tu viste?

Letras de Babel disse...

e quando os notamos estão ultrapassados. e nós com eles, também.

eyes shut disse...

por acaso, nos meus dias mora um ritmo que deixa entrar a Vida de uma maneira mágica, porque simples.
mas é certo que há milagres que passam certamente por mim sem eu saber... é que acredito que são tantos...*

musalia disse...

penso o mesmo, a cada momento dos meus passos. e esqueço...de olhar. com a pressa. tenho saudades de parar...