5.1.08

O que não vem só das cr"i"anças, um espaço simples e grato.


Agatha Katzensprung

Quando as crianças brincam
Eu as ouço brincar,
Qualquer coisa em minha alma
Começa a se alegrar

Fernando Pessoa

;)

3 comentários:

Momentos disse...

É a pureza, a inocência, a força de viver que é real nelas e nos faz lembrar dessa nossa fase de esperança, de descoberta, de alegrias que nos toca e nos recorda como é bom viver assim! É uma solidariedade contagiante...

un dress disse...

A RUA É DAS CRIANÇAS


Ninguém sabe andar na rua como as crianças.


Para elas é sempre uma novidade, é uma constante festa transpor umbrais.


Sair à rua é para elas muito mais do que sair à rua.





Vão com o vento.





Não vão a nenhum sítio determinado, não se defendem dos olhares das outras pessoas e nem sequer, em dias escuros, a tempestade se reduz, como para a gente crescida, a um obstáculo que se opõe ao guarda-chuva.


Abrem-se à aragem.


Não projectam sobre as pedras, sobre as árvores, sobre as outras pessoas que passam, cuidados que não têm.

Vão com a mãe à loja, mas apesar disso vão sempre muito mais longe. (...)




Ruy Belo, in Imagens Vindas dos Dias

angela disse...

as crianças e muitos
:-) :-) :-)
muitos