31.10.07

espaço : os melhores momentos virtuais




Zhang Xiaogang

Porque pertenço à raça daqueles que mergulham de olhos abertos
E conhecem o abismo pedra a pedra, anémona a anémona, flor a flor.

Sophia de Mello Breyner Andresen

É impressionante como no tal abismo nos encontramos com "coisas" tão duras e "coisas" simultaneamente tão belas.
É um privilégio viver (mesmo sabendo que isto não é nada fácil)!
:)

Obrigado Cores do Aquário por te lembrares daqui. O teu blog é uma lufada de ar fresco.



. palavras de sabão . un-dress . moriana . le petit roy . le temps des cerises .
.

13 comentários:

Luci * in the Sky with Diamonds * disse...

Obrigada Cometa! TEu espaço é lindo demais!!!

bjs

:)

Plum disse...

Perfect!***

musalia disse...

se eu fosse celta diria que me lanças para as fogueiras de beltane ;)
grata e emocionada por essa distinção (que não mereço)
abraço.

margarida disse...

Cometa,
Nunca será bastante a tua beleza. Sigo-te o rasto e não consigo falar sem me referir a ti.
Flores, muitas flores pela generosa e ternurenta lembrança.

hfm disse...

Gostei de te conhecer.

un dress disse...

cada invisível partícula do rasto

se reveste

a ternura.



...a q u i...




:)

lupussignatus disse...

A poesia de Sophia é sempre uma navegação celestial; de olhos bem abertos, pela rota dos cometas...

Vertigo disse...

Ah,Ah..ainda me ri com o teu comentário..era EXACTAMENTE isso que eu pensava,quando transcrevia a frase do livro...

Já não te 'via' há algum tempo ;)

Beijinhos

isabel mendes ferreira disse...

e eu vim....seguindo o rastro de alguém que mt prezo..o Nu singular...
:) a quem devo agradecer a descoberta de um espaço assim.



bom dia.


volto.


(se puder. claro)

petroy disse...

grato.abraço

nana disse...

mais que merecido.

o teu blog é ar, puro e cru, que se respira.

awake disse...

estas palavras da Sophia M.B. estão para além do explicável.

e, sim, há coisas tão belas no mundo, ainda que virtuais :)*

a. disse...

depois de se estar afastado deste mundo para lidar com os invernos interiores do outro, chegar aqui e ter esta surpresa é muito muito bom. quase parece primavera.

obrigada*