28.6.08

O teu espaço : porque é de ti que me vem o fogo



Kate Lehman


Então sento-me à tua mesa. Porque é de ti
que me vem o fogo.
Não há gesto ou verdade onde não dormissem
tua sombra e loucura,
não há vindima ou água
em que não estivesses pousando o silêncio criador.
Digo: olha, é o mar e a ilha dos mitos
originais.
Tu dás-me a tua mesa, descerras na vastidão da terra
a carne transcendente. E em ti
principiam o mar e o mundo.
Minha memória perde em sua espuma
o sinal e a vinha.
Plantas, bichos, águas cresceram como religião
sobre a vida – e eu nisso demorei
meu frágil instante. Porém,
teu sinal de fogo e leite repõe a força
maternal, e tudo circula entre teu sopro
e teu amor.

Herberto Helder

9 comentários:

~pi disse...

tão

colo,

embalamento



~

mdsol disse...

Herberto Helder..SEMPRE!
:)

~pi disse...

...


e a fonte


a água






~

Dalaila disse...

embalo no fogo que me aquece

Queen Frog disse...

lindo!

beijinhos

Por entre o luar disse...

=) beijinhos e sorrisO*

rosasiventos disse...

assim ESTRONDOSO
de ausência

refluxo SÚBITO alerta
roxo cobre vegetal

assim
EXPLOSIVO de aberto

um só pulmão todo SEXO

assim teu
ombro defronte

SER de sem ser outra coisa
veias de lua

JANELA(


(...)

r.e. disse...

este teu lugar é incontornável. abraço. J.

Anónimo disse...

Essa poesia me excita...