25.10.07

um espaço sobre "o que nos protege"


?

Às vezes tenho medo de esquecer tudo:
a casa onde nasci, o recreio
da escola, essas vozes
que lembram um copo de água
no verão.

Jorge Gomes Miranda

Lembrei-me deste poema/sentimento por causa das magníficas imagens deste e deste post.
Obrigado.

5 comentários:

musalia disse...

e muito bem lembrado. sobretudo a romã, lembra-me o outono da infância...
:)
bjs.

un dress disse...

romã..mágiCa...



.fui ver os aquis :)




beijO

petroy disse...

o teu poema lembrou-me este que me toca sempre que o leio:

" ... É uma criança bonita de riso e natural.
Limpa o nariz ao braço direito,
Chapinha nas poças de água,
Colhe as flores e gosta delas e esquece-as.
Atira pedras aos burros,
Rouba a fruta dos pomares
E foge a chorar e a gritar dos cães.
E, porque sabe que elas não gostam
E que toda a gente acha graça,
Corre atrás das raparigas
Que vão em ranchos pelas estradas
Com as bilhas às cabeças
E levanta-lhes as saias. ..."

(Poema do Menino Jesus - Alberto Caeiro)

Dalaila disse...

e aí volto ao sabor da água, e tudo perfuma outra vez na minha memórua

awake disse...

este poema é maravilhoso.
e as uvas a brincarem de ser brincos comoveram-me tanto...*