31.5.07

o teu espaço: clã

Ele no amor era uma criança para se atirar cega e sofregamente para o prazer como para um abismo. Aprendeu que não se pode receber prazer sem dar prazer e que cada gesto, cada carícia, cada contacto, cada olhar, todos os ínfimos recantos do corpo têm segredos que podem dar felicidade aquele que o sabe despertar. Ela ensinou-lhe que os amantes não se devem separar depois do festim do amor sem se admirarem mutuamente, sem serem conquistados e conquistarem, para que nenhum deles sinta tédio ou solidão e para evitar a desagradável sensação de terem maltratado ou de terem sido maltratadas...

Herman Hesse

Faz-me lembrar Clã a cantar "Depois do Amor (se eu me rir...)"

5 comentários:

Teresa Durães disse...

adoro Herman Hess e este trecho é realmente lindo, apesar de não estar a identificar o livro de onde foi retirado

boa tarde

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

tão verdade...***

Depois do amor...?

"mal é depois do amor
não haver vestígio dele...

da próxima vez que me rir
é porque o amor me inundou
e a sua água em nós correu..

e o melhor veio depois
porque então ríamos dois..."

*

starfish disse...

:)

Andreia Ferreira disse...

Muito bom o excerto. Muito boa a escolha musical. E muito bom o teu cantinho :)
Vou "linkar-te", se não te importares.

Beijinho.

Cometa 2000 disse...

teresa, infelizmente também não sei de que livro é. não é de nenhum que tenha lido. encontrei o excerto algures...

inês, pois... depois do "amor".

starfish, gostei do sorriso.

andreia ferreira, fico contente por saber que gostaste. é claro que me podes "linkar". obrigado pela visita. :)